SUCULENTA PARAFUSO COMO MULTIPLICAR E CULTIVAR CACTOS Sítio GilSat

SUCULENTA PARAFUSO COMO MULTIPLICAR E CULTIVAR CACTOS Sítio GilSat

COMO FAZER MUDAS DE SUCULENTAS
Uma coisa é certa: todo mundo ama suculentas.

Não é difícil entender o motivo. Essas fofinhas tão especiais são relativamente fáceis de cultivar e trazem muito charme ao ambiente pelo grande leque de possibilidades na hora de decorar algum cantinho com elas.

Mas, você sabe exatamente o que são suculentas?

Suculentas são plantas nas quais a raiz, caule ou folhas possuem tecidos capazes de armazenar água em quantidades maiores que em plantas comuns.

Essa façanha permite com que elas possam viver bem por longos períodos de seca e consigam resistir a ambientes áridos.

Por esse motivo, as apaixonantes suculentas podem habitar espaços não muito favoráveis, onde recebam pouca águas e muita luz.

Elas são tão incríveis que para possibilitar a captação de escassa umidade do ambiente, algumas espécies possuem a superfície de suas lindas folhinhas cobertas de pelos (isso as permite captar o orvalho) e cera (para não perderem a água pela evaporação. Incrível, né!?

Então vamos descobrir como propagar mudas dessas belezinhas.

1. Substrato
O substrato ideal para receber mudinhas de suculentas e favorecer no enraizamento das mesmas, deve ser leve, não reter umidade, poroso e de fácil manuseio.

A opção mais usada para o enraizamento de novas mudinhas e estacas de suculentas é a areia. Geralmente usa-se 1/3 de areia lavada de construção e pedriscos.

Em um recipiente estilo bandeja, com furos no fundo, deve ser colocada uma camada de pedrisco. Ele funcionará como uma camada de drenagem para o não acúmulo de água que consequentemente causa o apodrecimento das raízes.

O próximo passo é preencher até a borda com a mistura de terra e areia lavada. Feito isso, aperte e molhe para retirar os espaços com ar. Os espaços vagos, preencha novamente com a mistura para manter a uniformidade.

Sobre o solo, coloque uma camada de esterco curtido. Essa camada deve ser bem fina, cerca de 0,5 cm.

As suculentas curtem muito o esterco.

Por ter baixo teor de nitrogênio e ser rico em matéria orgânica, o esterco acelera o crescimento radicular e a formação das mudas.

2. Preparação das mudas
As folhinhas que você usará na propagação devem ser sempre destacadas na base do caule da planta matriz.

Esse processo é importante e deve ser feito com cautela pois acontece de folhas quebrarem com muita facilidade antes da base (conforme foto abaixo). Isso definitivamente não é bom pois é justamente na base que serão formadas as raízes e a nova muda.

Se pretende fazer mudas a partir de estacas saiba que: as estacas laterais devem ser sempre cortadas na lateral do caule.

Tome cuidado pois caso o caule seja ferido, o ferimento se tornará uma porta aberta de entrada para doenças e também desidratação da planta mãe.

Caso haja algum ferimento no caule, pulverize o lugar com canela em pó para que seja feita a rápida cicatrização do lugar afetado.

Quando a suculenta apresentar uma haste floral, as folhas da haste e até mesmo ela, também serão mudas que podem ser enraizadas.

3. Desenvolvimento e enraizamento
O plantio das estacas laterais na areia deve ser feito de forma bem simples.

Faça um buraco no solo com um lápis, enfie o caule da suculenta, aperte em volta para firmar e molhe ao redor em seguida.

Em torno de 20 dias as mudas estarão enraizadas e prontas para o plantio em vasos individuais.

Após esse período, afofe o solo ao redor da muda e puxe levemente para que ela saia com as raízes.

Uma parte do solo provavelmente ficará grudada nas raízes, não há problema nisso.

Após o processo de formação radicular, as mudinhas já possuem condições de absorver os nutrientes que compõe o solo.

Já no caso das folhas da planta matriz, o procedimento para enraizamento é ainda mais simples. Deixe as folhas deitadas sobre o solo. Não é necessário plantar a folha.

Passado o curto período de 7 dias, inicia-se a formação radicular.

Algumas espécies acabam formando suas raízes antes mesmo desse período. Já outras após os 7 dias.

Quando as raízes já estiverem crescidas, em contato com o esterco elas absorverão o nutriente do produto e começam a acelerar a formação do brotinho.

O broto estará pronto para um vaso individual quando a folhinha que o gerou secar naturalmente.
Plante a muda, apertando em volta para firmá-la. Feito isso, molhe em volta e deixe o vasinho em uma área sombreada até o crescimento e formação de novas folhas.
Após o surgimento de novas folhas, coloque o vasinho em uma área que receba claridade para adaptação e mudança de cor das folhas.
É importante que a planta receba esse alimento extra pelo menos 1 vez a cada 15 dias Sítio GilSat.

 

ORQUÍDEAS


  Como cuidar de orquideas
 
Gostou, Então Compartilhe!

Você pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *